Mind Hunter @ 23:24

Qui, 11/09/08

Justificação do título: Cheguei a estas conclusões ontem á noite, quando tentava dormir! Isto parece uma merda que aparece naqueles programas matinais, que não sei o nome, visto que de á 3 anos para cá, durante as férias, só existo a partir da 1 da tarde xD

1ª Conclusão: Pensar faz mal! Disse sempre isso e agora ainda tenho mais a certeza, quanto mais penso pior é.

2ª Conclusão: Quando me sinto melhor é quando estou longe de tudo o que conheço. é um bocado estúpido mas é verdade. Quando começo a conhecer tudo, farto-me. Sinto-me mal de passar e as pessoas falarem 'Esta dizem que fez e que aconteceu, e de certeza que vai fazer tal' E raramente dizem verdades. Todos se metem na minha vida, e acabo por saber a vida de todos, e as pessoas acabam por perder o encanto. Nem todas, óbvio. Mas há sempre pessoas assim. Pessoas que se imaginam de uma forma e depois é tudo somente imaginação. E os lugares começam a ser sempre a mesma coisa, nada para descobrir.
Neste Verão o que adorei foi ter estado no Algarve. Todos os dias era algo diferente. Acho que gosto da solidão. Não daquela solidão em que estamos rodeados de pessoas que vimos todos os dias, mas que simplesmente nos ignoram. É aquela solidão em que estamos num sítio novo, onde estamos sós, mas não abandonados. Quando comecei a frequentar uma terra perto do sítio onde moro, tudo era igualmente fantástico, mas depois...já conhecia tudo, não havia nada a descobrir.
Sinceramente, não me percebo.
Sou complicada, sempre fui, e não vejo forma de o deixar de ser.


Espécie de diário de 3 - Kátia, Filipa, Olga - adolescentes. Linguagem por vezes ordinária, muy drama, tiradas poéticas, desabafos, parvoíces, ilusões, queixas da vida, análises cuidadosas e centralizadas sobre factos da vida (ahahah), ou outra treta qualquer que nos apeteça postar / partilhar com o resto do mundo.

RSS