Mind Hunter @ 22:19

Qui, 03/07/08

Hoje dou por mim a pensar: ‘As coisas boas da vida são como um arco-íris’.E é.Tenho a certeza que já aconteceu a praticamente toda a gente estar a olhar para um arco-íris e depois dizer a alguém para ver também, e quando olham já lá não está.Pois é…as coisas na vida também se processam um pouco dessa forma. Temos algo bom na vida, cheio de cor, lindo e que nos traz paz, e quando vamos a ver já lá não está. Volta tudo ao mesmo…o céu volta a estar azul como é suposto estar. O pior disto é que depois do arco-íris normalmente o céu está coberto de nuvens que nos rodeiam com um ar assustador, e nós simplesmente pensamos que vai começar a chover a qualquer momento. E para piorar ainda mais, nem sempre temos guarda-chuva. Qualquer pessoa que se preze só sai de casa com guarda-chuva se já estiver a chover.Depois há também aquelas pessoas que quando vêem o arco-íris se lembram do pote de ouro que está no fim…mas logo aparece alguém a lembrá-las que isso não existe. E não existe. Tudo o que é bom acaba depressa como se diz. E o arco-íris é assim. Mesmo se existisse o pote de ouro não estaria lá tempo suficiente para o alcançarmos. Foge de nós.O que pode também acontecer é sermos aquelas pessoas a quem dizem para vermos o arco-íris. Quando olhamos já não está lá. Quando podemos olhar para ele não olhamos, e quando damos pela sua presença já ele nos abandonou.O ideal seria andarmos sistematicamente a criar daqueles arco-íris que surgem se colocarmos uma mangueira bem alinhada com o sol.Assim teríamos sempre algo positivo para nos agarrarmos, mas mesmo sendo bastante fácil criar esses arco-íris preferimos andar sem olhar para eles. É mais fácil queixarmo-nos do que criar alegrias onde nos podemos agarrar quando o grande arco-íris do céu teima em não aparecer, ou teima em desaparecer. Nem tudo está nas nossas mãos…nem tudo está nas mãos do destino.
Texto antigo...ainda era nos tempos em que chovia xD
A Cátia pediu, eu postei :D
I hope you like it!


Espécie de diário de 3 - Kátia, Filipa, Olga - adolescentes. Linguagem por vezes ordinária, muy drama, tiradas poéticas, desabafos, parvoíces, ilusões, queixas da vida, análises cuidadosas e centralizadas sobre factos da vida (ahahah), ou outra treta qualquer que nos apeteça postar / partilhar com o resto do mundo.

RSS