Mind Hunter @ 02:35

Sab, 30/08/08

"Be the best you can. No negativity, no weakness, no acquiescence to fear or disaster, no errors of ignorance, no evasion from reality"

Pensem sobre esta frase. Se vivessemos de acordo com isto iamos viver melhor, de certeza.
Motivos? Bem...aqui estão:
-Se formos sempre o melhor possivel, se dermos tudo de nós, se formos realmente boas pessoas não vamos prejudicar os outros e, consequentemente, vamos ser respeitados. 'Cada um colhe o que semeia'
-Toda a negatividade para fora da nossa vida ia ajudar. Pensamentos negativos substituidos por pensamentos positivos; más acções substituidas por boas acções; etc.
- Se formos fortes, se não nos deixarmos ir abaixo com qualquer coisa, se pusermos toda a fragilidade fora do nosso caminho, iremos ser mais felizes, pois conseguiremos sair mais facilmente dos nossos problemas e não deixaremos que os outros nos prejudiquem.
-Nunca devemos aceitar o medo e o desastre, devemos tentar superar tudo, ultrapassar todos os medos e sair de todos os desastres que atravessem o nosso caminho.
-Errar porque simplesmente ignoramos algo a que podiamos facilmente ter acesso, mas por qualquer razão decidimos passar á frente dessa parte da aprendizagem humana, é algo que deveriamos sempre evitar, visto que assim melhoravamos como ser humanos e a nossa vivência na sociedade.
-Não devemos fugir da realidade, não querer ver as coisas como elas são ou tentar com que na nossa mente tudo seja perfeito, já que assim não iremos ser simplesmente alguém que se refugia num mundo que não existe, e mais tarde ou mais cedo vamos cair na dura realidade.

Pensem nisto !



P.S-Esta frase foi dita pelo Jeff Buckley, que canta a minha música preferida: Hallelujah (está na rádio do blog xD).
Infelizmente ele já morreu, mas se viveu de acordo com aquela citação, então embora tenha morrido afogado, acidentalmente, teve uma vida completa e inspiradora.
Era um grande músico, para além de ter uma excelente voz tocava guitarra como ninguém, e como se não bastasse não cantava só com a voz, mas também com o coração. Ele faz-nos sentir a música de outra forma, possivelmente porque as músicas eram compostas por ele próprio, e sobre factos da sua vida. Tinha uma grande experiência de vida, assim como do amor, do que tem de bom e de mau. Ouvi-lo cantar é tocante.


Espécie de diário de 3 - Kátia, Filipa, Olga - adolescentes. Linguagem por vezes ordinária, muy drama, tiradas poéticas, desabafos, parvoíces, ilusões, queixas da vida, análises cuidadosas e centralizadas sobre factos da vida (ahahah), ou outra treta qualquer que nos apeteça postar / partilhar com o resto do mundo.

RSS